A Mente mente

Por Paulo Bartolo

Quem já não se deparou durante um treino de Karate-Do com aquela pessoa que para de treinar porque não aguenta mais?. Não estou falando de iniciantes que ainda não têm um preparo físico adequado. Estou falando de praticantes do dia a dia da modalidade.

Quando você fica exausto, muito cansado ou estressado por algum motivo, a nossa Mente começa a enviar pensamentos do tipo: “Eu não aguento mais”, “Eu não consigo” ou “Simplesmente não dá mais”. Nesse caso, a Mente é o seu pior “coach” (técnico) para lhe orientar. A Mente está treinada para lhe propiciar uma relação de conforto e prazer. O Karate-Do nos ensina a trabalhar com o “Eu não aguento mais”. Ele nos mostra que isso é apenas um pensamento e eu não preciso concordar com ele. Tente reparar que é algo que sua Mente está lhe dando. Mas se você acreditar nesse pensamento, você se fechará em um ciclo do mesmo comportamento a longo prazo, inclusive para outras coisas que fizer.

Vamos dar um exemplo: participei de um Seminário Internacional de Karate em Okinawa, em 2010, com os melhores mestres de Karate-Do da ilha. Foram cinco dias de treino com 3h de manhã e 3h à tarde. No 4º dia à tarde, a aula foi com sensei Minoru Higa. Éramos 20 professores e no aquecimento fizemos 2 mil Tsuki (socos). Depois de vários dias de treino já estávamos cansados, mas o sensei Minoru Higa, que tinha uma idade já avançada, nos desafiava fazendo em nossa frente os movimentos. E se alguém tentasse desistir, ele se colocava na frente e estimulava a não parar. Depois, ainda fizemos Kata e técnicas de luta. Foram 3h muito intensas. Mas é nessa hora que você vê que a Mente mente. Eu não tinha me sacrificado para estar no berço do Karate-Do, do outro lado do mundo, com os melhores mestres para parar durante um treino. A minha Mente podia ter esse pensamento do “Eu não aguento mais”, mas eu não ia concordar com esse pensamento. No final do treino estávamos todos acabados, mas muito felizes por termos concluído o treinamento.

Um dos lemas do Karate-Do é Criar o Intuito do Esforço. Para cumpri-lo, você terá que escolher seus pensamentos. Tente fazer as coisas de forma compatível com os pensamentos que são proveitosos para você. Todos as pessoas são diferentes entre si, portanto, utilize os pensamentos que funcionam para você, a fim de ter uma vida determinada e coerente com o seu “EU” interior.

A análise e a reflexão são instrumentos poderosos que nos ajudam a nos libertar dos pensamentos. Não deixe o “Eu não aguento mais” habitar a sua Mente. É você que tem que saber quando sua Mente mente.