Seleção volta a treinar em Pindamonhangaba de olho no World Masters de Doha, em janeiro

Por Confederação Brasileira de Judô | Crédito: CBJ

O ano olímpico já começou para a seleção brasileira de Judô. A equipe voltou a se concentrar em Pindamonhangaba, São Paulo, para um período de dez dias de treinos visando à disputa do World Masters de Doha, confirmado para janeiro de 2021. A competição é a segunda na hierarquia de pontos do Circuito Mundial IJF, ficando atrás apenas do Campeonato Mundial. Em jogo, 1800 pontos que podem fazer grande diferença na corrida olímpica para Tóquio.  

Os primeiros a chegar em Pinda foram os judocas da equipe masculina, que se apresentaram na última segunda-feira, 07. A seleção feminina se apresentou um pouco depois, no dia 10. Ambas equipes ficarão concentradas no Hotel Colonial Plaza até a próxima quinta-feira, 17. 

Programação com treinos e atividades especiais  

O “cardápio” da concentração, que reúne cerca de 60 atletas, entre judocas das equipes Sub-18, Sub-21, Sênior e Transição, inclui, além dos treinos de judô e físico, homenagens e atividades específicas, como um seminário de arbitragem 

Para isso, a CBJ convidou o árbitro mexicano Everardo Garcia, um dos principais do Circuito Mundial IJF, e o coordenador nacional de arbitragem do Brasil, Edison Minakawa. É a primeira vez que um árbitro estrangeiro participa de um treinamento da seleção brasileira.  

Além disso, a programação conta ainda com palestras sobre “Saúde da Mulher no Esporte”, “Assédio e Abuso”; “Nutrição Esportiva”, “Preparação Física”, “Análise de Desempenho”, entre outras, ministradas pelos profissionais da equipe multidisciplinar da seleção.  

Nesta terça-feira, 15, a equipe feminina receberá a ilustre visita da Sensei Soraia André, pioneira do Judô feminino brasileiro, e o dojô do Hotel Colonial Plaza receberá cinco ex-atletas medalhistas olímpicos que serão promovidos a kodanshas dentro dos novos critérios estabelecidos pela Portaria 01-20 da CBJ.