Seis judocas brasileiros iniciam aclimatação em Hamamatsu, Japão, para os Jogos Olímpicos

Por Confederação Brasileira de Judô | Crédito: Gaspar Nóbrega/COB

Após uma longa viagem de quase três dias, a seleção brasileira de Judô chegou à Hamamatsu, na noite do último sábado, para iniciar o processo de aclimatação no Japão para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. No domingo, os seis judocas olímpicos que viajaram no primeiro grupo à Tóquio fizeram um trabalho regenerativo para recuperar o desgaste da viagem e, nesta segunda-feira, 12, a equipe, finalmente, vestiu o judogi e estreou o ótimo dojô do Ginásio Yuto com um treino técnico. 

Eduardo Barbosa (azul) treina em Hamamatsu, onde morou quando criança.

“É essencial chegar com essa antecedência, ter essa estrutura montada ao longo de cinco anos de muita troca, com todas as áreas da equipe multidisciplinar dando sugestões para que, agora, estivesse tudo pronto para receber a equipe e tenho certeza que os atletas estão muito satisfeitos. Eles terão a tranquilidade de estar longe do Brasil, com foco total na competição, já vivenciando o clima olímpico”, disse Ney Wilson, gestor de alto rendimento da Confederação Brasileira de Judô e chefe da equipe de judô na Missão Tóquio 2020. 

O grupo que chegou primeiro ao país olímpico conta com seis, dos 13 judocas que representarão o Brasil na Nippon Budokan, de 24 a 31 de julho: Eric Takabatake (60kg), Gabriela Chibana (48kg), Daniel Cargnin (66kg), Larissa Pimenta (52kg), Eduardo Katsuhiro Barbosa (73kg) e Rafael Silva “Baby” (+100kg).  

Para o peso leve Eduardo Barbosa, a escolha de Hamamatsu como uma das bases do Time Brasil foi uma feliz coincidência. Filho de brasileiros e nascido em Registro, São Paulo, Barbosa foi morar no Japão e passou grande parte de sua infância em Hamamatsu, onde seu pai comandava o dojô da Associação Barbosa de Judô. 

“É indescritível a sensação de estar fazendo a aclimatação para os meus primeiros Jogos Olímpicos na cidade onde passei minha infância. Por causa de todos os protocolos necessários para nossa segurança, não vou poder estar perto dos meus amigos, mas só de estar em Hamamatsu, sinto que minha energia será maior e vou chegar muito bem no dia da competição. Estou muito feliz de estar aqui”, comentou. 

Nesta terça-feira, 13, o segundo e último grupo do judô embarcará para Tóquio e também seguirá para a aclimatação. Eduardo Yudy Santos (81kg), Rafael Macedo (90kg), Rafael Buzacarini (100kg), Ketleyn Quadros (63kg), Maria Portela (70kg), Mayra Aguiar (78kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg) já estão de malas prontas para embarcar rumo a Tóquio e iniciar o mesmo processo de preparação final para os Jogos Olímpicos.  

As disputas do Judô acontecerão no templo das artes marciais japonesas, a histórica Nippon Budokan, que recebeu o judô em 1964, quando a modalidade estreou no programa olímpico. Serão oito dias de lutas, com uma categoria de peso por dia, começando pelos mais leves no dia 24 de julho. A inédita disputa por equipes mistas encerra o judô em Tóquio no dia 31.  

As preliminares começarão 11h (hora local), com bloco final (repescagens, semifinais, bronzes e finais) a partir das 17h (hora local). Será, portanto, às 23h e às 5h da manhã no horário de Brasília.