Rafaela Batista, de 18 anos, conquista o bronze no Mundial Júnior de Judô, na Itália

Por Confederação Brasileira de Judô | Crédito: Marina Mayorova/IJF

Demonstrando personalidade, Rafaela não se intimidou diante de adversárias europeias e venceu quatro lutas por ippon. O único revés veio nas quartas-de-final, contra a russa Irena Khubulova, que terminou com a prata. Antes disso, ela havia vencido Monica Reyes, dos Estados Unidos, e Giorgia Hagianu, da Romênia.

Na repescagem, Rafaela superou a espanhola Gemma Antona e, na disputa pelo bronze, encaixou um estrangulamento perfeito que fez a francesa Lea Beres bater para desistir do combate.

O Mundial foi apenas a segunda competição internacional de Rafa, que tem como inspiração no Judô sua conterrânea e xará, Rafaela Silva. A primeira foi o Pan-Americano Sub-21 de Cali, na Colômbia, onde ficou com a prata após perder na final para Aléxia Nascimento, que terminou o Mundial em 7º lugar.

Rafaela durante luta contra a espanhola Gemma Antona. 

“Foi incrível! Estou sentindo uma felicidade enorme. Foram lutas duras, difíceis, mas graças a Deus e ao esforço que tenho feito, o resultado saiu”, contou Rafaela. “Eu dedico a medalha ao meu irmãozinho e ao sensei Rafael por sempre acreditar em mim”.

Rafaela Batista é atleta do Instituto Santa Cruz de Esportes, no Rio de Janeiro, onde é treinada pelo sensei Rafael Barbosa. Ela conheceu o judô aos 9 anos, na escola, como atividade complementar aos estudos. Entre os principais resultados da promissora carreira nos tatames estão o ouro no Meeting Nacional Sub-18 de 2020 e o ouro nos Jogos Escolares da Juventude, de 2019.Rafaela durante luta contra a espanhola Gemma Antona.

Matheus e Aléxia param na repescagem

Outros dois brasileiros que lutaram nesta quarta terminaram em sétimo lugar. No meio-leve masculino (66kg), categoria em que o Brasil teve Daniel Cargnin e Willian Lima campeões mundiais em 2017 e 2019, Matheus Pereira, de 19 anos, venceu duas lutas nas preliminares, mas caiu nas quartas e na repescagem. Matheus já tinha um bronze em Mundial Sub-18, mas não conseguiu repetir o feito no Sub-21 ainda.

Na mesma categoria de Rafaela, o Brasil teve Aléxia Nascimento, de 19 anos, que terminou em 7º. Ela estreou com vitória sobre Marina Vorobeva, da Rússia, mas caiu nas quartas e na repescagem. Aléxia foi campeã pan-americana júnior neste ano.

O Mundial Júnior continua até domingo, com brasileiros em ação todos os dias. Nesta quinta-feira, 07, será a vez de Thayane Lemos (57kg), Nauana Silva (63kg) e Gabriel Falcão (73kg) representar o Judô brasileiro.