No Rio, presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges, prestigia outorga de graus para atletas olímpicos, paralímpicos e que disputaram Mundiais

Por Confederação Brasileira de Judô | com informações do Judô Rio | Crédito: Flash Sport

No último sábado, o presidente da Confederação Brasileira de Judô, Silvio Acácio Borges, prestigiou a cerimônia de outorga de faixas e graus da Federação do Estado do Rio de Janeiro.

Na ocasião, foram promovidos atletas olímpicos, paralímpicos e que disputaram Mundiais de Judô como parte do processo de valorização dos atletas. O evento foi transmitido online pela FJERJ e, presencialmente, o Time Judô Rio seguiu um rígido protocolo sanitário que, visando à segurança da saúde de todos os judocas, especialmente os mais velhos, priorizou a presença dos mais jovens. 

“Foi tudo muito bem organizado e seguro, trazendo o pessoal de forma pré-agendada sem acúmulo de pessoas e foi um sucesso. É sempre um prazer estar com judocas e com o pessoal da FJERJ, que tem feito um trabalho de referência para que seus graduados não perdessem o ano no contexto da pandemia. Cursos, palestras, capacitação e, dessa forma, conseguiram superar todos os obstáculos e fazer essa festa bonita”, elogiou o presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges.  

“Foi um evento de excelência, no qual alcançamos nosso objetivo de fazer um evento marcante, como deve ser uma promoção de graduação, mas mantendo a segurança e a saúde de todos. Muitas dúvidas pairaram na nossa cabeça até acharmos um modelo seguro. Conseguimos um espaço glamouroso dentro do hotel, um salão climatizado, muito bonito. Usamos, no máximo, 40% do espaço para mantermos o distanciamento social”, contou Jucinei Costa, presidente da FJERJ. 

O Time Judô Rio dividiu os judocas promovidos, aproximadamente 200 pessoas, em oito grupos, de cerca de 25 pessoas, sendo que cada um poderia levar apenas um acompanhante. Cada uma das cerimônias teve duração de cerca de 30 minutos e um intervalo de uma hora entre um grupo e outro. Nesse intervalo, uma equipe higienizava o espaço. 

O ponto alto do evento foi a outorga de faixas de judocas, que conquistaram mais um Dan por suas participações nos Jogos Olímpicos ou Paralímpicos ou em Campeonatos Mundiais, pelo presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges. 

“Gostei muito de ter sido lembrada nessa Cerimônia de Outorga de 2020. Agradeço à FJERJ, na pessoa do presidente Jucinei Costa, e ao presidente da CBJ, Silvio Acácio, por reconhecerem a contribuição dos atletas olímpicos para o Judô brasileiro”, disse Daniela Polzin, arquiteta e gerente de Infraestrutura Esportiva do Comitê Olímpico do Brasil.  

“É muito boa a sensação de estar progredindo no Judô de uma maneira diferente. Quando era atleta, era através dos títulos. Hoje, tendo em mente todos os ensinamentos adquiridos através da prática do Judô, carregando dentro de mim os valores e princípios filosóficos desta arte como um modo vida, busco através dos atos cotidianos, dos trabalhos que estamos realizando para os atletas e para o esporte nos bastidores e na forma como estou me portando fora dos tatames, ser exemplo para os judocas mais novos”, completou Polzin, que disputou os Jogos Olímpicos Atenas 2004, que chegou ao 4º dan.