Judô brasileiro tem dobradinhas no 48 kg e 57 kg, e fecha Open de Guadalajara com sete medalhas

Por Confederação Brasileira de Judô | Crédito: CBJ

Embalados pelo ótimo desempenho no Campeonato Pan-Americano de Judô, sete judocas brasileiros voltaram ao tatame mexicano no sábado, 17, e faturaram sete medalhas para o Brasil no Open Pan-Americano de Guadalajara. Foram cinco ouros e duas pratas para a seleção brasileira, que teve 100% de aproveitamento com todos os judoca subindo ao pódio. A competição dá 100 pontos no ranking de classificação olímpica para Tóquio 2020. 

Os resultados garantiram o primeiro lugar geral do Open para o Brasil. A competição teve a participação de 75 atletas, de 16 países. 

Os grandes destaques foram as categorias 48 kg e 57 kg que tiveram finais brasileiras. No ligeiro, Nathália Brígida levou a melhor sobre Gabriela Chibana, nas punições, para ficar com o ouro. Já no peso Leve, a vitoriosa foi Ketelyn Nascimento, que bateu Jéssica Pereira, também nas punições.  


“Foi incrível voltar a competir e, ainda mais, ter vencido hoje. Estou muito contente com meu retorno e mais motivada para os próximos desafios”, celebrou Nathália Brígida, que não competia desde o Grand Slam de Dusseldorf, em fevereiro de 2020. 

Campeões no Campeonato Pan-Americano, Willian Lima (66 kg), Guilherme Schimidt (81 kg) e Ellen Santana (70 kg) repetiram o desempenho no Open e voltarão para casa com duas medalhas de ouro na bagagem.  

As próximas etapas da seleção brasileira de judô serão o Grand Slam de Kazan, em maio, na Rússia, e o Mundial de Budapeste, em junho, fechando a classificação olímpica.