Em primeiro evento pós-paralisação, Brasil conquista três bronzes

Por Confederação Brasileira de Judô | Crédito: IJF

O Judô brasileiro voltou ao pódio do Grand Slam da Hungria, no último domingo, 25, com uma dobradinha no peso pesado feminino.

Maria Suelen Altheman e Beatriz Souza conquistaram as duas medalhas de bronze da categoria e faturaram mais 500 pontos no ranking mundial classificatório para os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para 2021. Com a medalha de Willian Lima (66 kg) conquistada na sexta-feira, o Brasil fechou sua participação no primeiro evento pós-paralisação com três medalhas de bronze. 

Beatriz e Maria Suelen protagonizam, neste ciclo, uma das disputas mais acirradas pela vaga olímpica de Tóquio 2020. Atualmente, Suelen está em 5º e Bia em 6º no ranking mundial, com uma diferença de apenas 142 pontos entre elas. O bronze do Grand Slam vale 500 preciosos pontos nessa corrida. 

O equilíbrio dessa disputa foi visto neste domingo no tatame da Laszlo Papp Arena, em Budapeste, na competição que marcou o retorno das competições internacionais de Judô.

Ambas tiveram o mesmo desempenho nas preliminares: venceram duas lutas por ippon, foram as melhores de suas chaves e chegaram às semifinais. Aí, encaram suas primeiras derrotas. Suelen levou três punições contra duas da tunisiana Nihel Cheikh Rouhou e Bia foi projetada por ippon pela turca Kayra Sayit e, assim, foram para a disputa de bronze. 

A primeira medalha veio com Beatriz, que venceu Larisa Ceric, da Bósnia, com um wazari. Em seguida, Maria Suelen projetou Rochele Nunes, sua antiga companheira de seleção brasileira que hoje luta por Portugal, e marcou o ippon para também subir ao pódio.   


Rafael Silva (+100 kg) termina em sétimo lugar 

Entre os homens, o melhor resultado do domingo foi do peso-pesado Rafael Silva “Baby”, que ficou em sétimo lugar. Ele venceu o sérvio Zarko Culum, na estreia, mas caiu para Jur Spijkers, da Holanda, e para Levani Mattiashvili, da Geórgia, na repescagem. 

Mattiashvili foi também o algoz do outro brasileiro na chave dos pesados, David Moura, na primeira rodada. 

Marcelo Gomes (90 kg), Rafael Macedo (90 kg), Leonardo Gonçalves (100 kg) e Rafael Buzacarini (100 kg) estrearam com vitórias, mas perderam em seguida e não avançaram às disputas por medalhas. 

O próximo desafio da seleção brasileira de Judô em 2020 será o Campeonato Pan-Americano, em novembro, em Guadalajara, México.