A um mês da abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, Brasil tem 272 vagas em 33 modalidades

Por Rede do Esporte | Crédito da foto: Rede do Esporte

ntre os mais de 200 países que vão treinar e disputar as medalhas em 42 complexos esportivos espalhados pelo Japão, a delegação brasileira já conseguiu confirmar 272 vagas em 33 modalidades. Por enquanto, há 158 nomes chancelados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB). Os demais dependem de convocações e confirmações de confederações esportivas.

Desses 158, 125 (79%) são integrantes do Bolsa Atleta, o programa de patrocínio do Governo Federal Brasileiro, executado pela Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. O percentual sobe para 89% se o futebol masculino, que não integra o programa, não for computado.

Do grupo dos bolsistas, 71 pertencem à categoria Pódio, a principal do programa, que prevê repasses mensais de R$ 5 mil a R$ 15 mil para os atletas que estão entre os 20 melhores do ranking mundial de suas modalidades. Outros 25 integram a categoria Olímpica, 20 fazem parte da Internacional e nove estão na Nacional.

“Mais do que essa presença muito significativa do Bolsa Atleta na lista de qualificados, os números reforçam o protagonismo do Governo Federal como principal patrocinador do esporte de alto rendimento no país”, afirmou Marcelo Magalhães, secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania.

No ciclo entre os Jogos Rio 2016 e Tóquio 2021, o Ministério da Cidadania repassou R$ 228,3 milhões de forma direta, via Bolsa Atleta, para integrantes das 33 modalidades qualificadas para o Japão. O grupo de 125 atletas garantidos recebeu R$ 38,5 milhões no período.  Em maio, o Governo Federal divulgou a maior lista da história do Bolsa Atleta, com 7.197 contemplados

Levando em conta Bolsa Atleta e Bolsa Pódio e as modalidades olímpicas e paralímpicas, o investimento total no ciclo foi de mais de meio bilhão de reais. E, quando a equação traz para esse horizonte outros investimentos federais no Esporte, como os projetos captados via Lei de Incentivo e os recursos da Lei da Loterias, a injeção anual de recursos no esporte de alto rendimento supera os R$ 750 milhões anuais

Novas adesões

A mais recente inclusão no grupo de qualificados foi anunciada nesta terça-feira (22.06). A Confederação Brasileira de Hipismo confirmou que João Vitor Marcari Oliva representará o Brasil no hipismo de adestramento. Integrante da categoria Olímpica do Bolsa Atleta, ele vai a Tóquio para competir com o cavalo Escorial Horsecampline.

Nos últimos dias, a lista olímpica ganhou 49 novos nomes com a convocação dos 36 integrantes das seleções masculina e feminina de futebol e com a definição dos 13 representantes no Judô, modalidade individual em que o Brasil somou até hoje o maior número de medalhas olímpicas: 22, sendo 4 ouros, três pratas e 15 bronzes. No futebol masculino, o Brasil defende o título conquistado nos Jogos Rio 2016. No feminino, a equipe que reúne a experiência de Marta e Formiga com novas estrelas busca no Japão um título ainda inédito.

As próximas semanas são decisivas para a definição da equipe de atletismo, que tem até o fim de junho para a obtenção de índices, e para as convocações finais das equipes masculina e feminina de handebol, além dos componentes do Time Brasil na canoagem velocidade, nas ginásticas artística e rítmica e no rúgbi feminino. No vôlei, as seleções masculina e feminina estão classificadas para a semifinal da Liga das Nações, que está sendo disputada em Rimini, na Itália. Depois do evento, serão anunciados os elencos definitivos para Tóquio.