A 200 dias de Tóquio, judocas se apresentam em Pindamonhangaba para concentração visando ao World Masters de Doha

Por Confederação Brasileira de Judô | Crédito:  Gabriela Sabau/IJF

O ano olímpico começou com tudo para o Judô brasileiro. Na semana que marca os 200 dias para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020, a seleção apresentou-se em Pindamonhangaba, São Paulo, para período de concentração visando ao World Masters de Doha, no Catar.

A competição, que acontecerá nos dias 11, 12 e 13 de janeiro, abrirá o calendário do Circuito Mundial IJF e é uma das mais importantes do ano, distribuindo até 1.800 pontos (campeões) no ranking mundial classificatório para os Jogos. Apenas os 36 melhores do mundo em cada categoria de peso recebem o convite para lutar este tipo de evento.  

Maria Suelen Altheman, atual nº 2 do mundo, foi bronze no Masters de Guangzhow, em 2018. 

Normalmente, o Masters acontece no final de cada temporada. Mas, por conta da pandemia do novo coronavírus, a disputa foi realocada para o início do ano, o que exigiu uma nova estratégia de preparação da seleção e cuidados redobrados com os atletas no período de festas de fim de ano.  

“O evento é de extrema importância, porque é de pontuação muito alta. Só a participação já vale 200 pontos. E é o único 100% confirmado para 2021 até agora. Todos os atletas estão bem conscientes disso. A gente começou a trabalhar para o Masters tão logo acabou o Pan-Americano, em novembro. Fizemos um treino em dezembro até onde conseguimos levar e orientamos os atletas para o período de festas de fim de ano. Eles se apresentaram em Pinda muito bem, no peso, tranquilos. Cumpriram o treinamento no período de festas na medida em que entenderam a importância do evento,” explica Ney Wilson Pereira, gestor de Alto Rendimento da Confederação Brasileira de Judô.  

A concentração da equipe inteira no interior de São Paulo foi uma das estratégias da CBJ para dar continuidade aos treinos, minimizar os riscos de infecção dos atletas e facilitar a logística dos protocolos de segurança exigidos pela Federação Internacional de Judô.

Para embarcar, todos os membros da equipe precisam de dois testes (RT-PCR) negativos para COVID-19. Chegando ao evento, a delegação é testada novamente, cumpre o isolamento de 24h e os atletas testam uma quarta vez, na véspera da luta.  

Ano olímpico pode ter Pan, Grand Slam e Mundial até Tóquio 

Além do Masters, a expectativa é de que o Circuito Mundial de 2021 conte ainda com outras grandes competições: Grand Slam de Tel Aviv (1000 pontos), Grand Slam de Paris (1000 pontos), Campeonato Pan-Americano (700 pontos) e o Campeonato Mundial de Budapeste (2000 pontos), todos classificatórios para Tóquio. Seriam, portanto, mais 4.700 pontos em jogo para quem sonha com a vaga olímpica em Tóquio.   

“Esperamos que o calendário se confirme. Mas, é de degrau em degrau. O que temos na mão é o World Masters. Temos que fazer o melhor nessa competição”, conclui Ney Wilson. 

Confira abaixo a lista dos atletas que representarão a seleção brasileira de judô no World Judo Masters – Doha 2021 

SELEÇÃO MASCULINA 

Categoria NomeRanking Mundial ClubeFederação
60kgEric Takabatake10ºE. C. PinheirosFPJUDÔ
60kgPhelipe Pelim32ºE. C. PinheirosFPJUDÔ
60kgFelipe Kitadai36ºSogipaFGJ
66kgDaniel CargninSogipaFGJ
66kgWillian Lima28ºE. C. PinheirosFPJUDÔ
73kgEduardo Katsuhiro Barbosa29ºPaineiras do MorumbyFPJUDÔ
81kgEduardo Yudy Santos18ºE. C. PinheirosFPJUDÔ
90kgRafael Macedo14ºSogipaFGJ
100kgRafael Buzacarini12ºPaineiras do MorumbyFPJUDÔ
100kgLeonardo Gonçalves19ºSogipaFGJ
+100kgRafael SilvaE.C. PinheirosFPJUDÔ
+100kgDavid MouraInstituto ReaçãoFJERJ

SELEÇÃO FEMININA

Categoria NomeRanking Mundial ClubeFederação
52kgLarissa PimentaE. C. PinheirosFPJUDÔ
63kgKetleyn Quadros10ºSogipaFGJ
63kgAléxia Castilhos20ºSogipaFGJ
70kgMaria Portela12ºSogipaFGJ
+78kgMaria Suelen Altheman 2ºE.C. PinheirosFPJUDÔ
+78kgBeatriz SouzaE.C. PinheirosFPJUDÔ