Por Girliani Martins | Crédito: Divulgação

 

Quem pratica arte marcial no Brasil, certamente já ouviu falar sobre o livro Grandes Mestres, considerado a principal publicação sobre este segmento em nosso país.

O projeto, idealizado pelo editor Fábio Bueno e publicado pela Bueno Editora, comemora 11 anos de sucesso em 2019 com a edição especial Américas, escrita em três idiomas: português, inglês e espanhol. 

No decorrer desse tempo, já circulou em todo o território nacional e em mais de 15 países, entre eles, Japão, Coreia, Tailândia, Itália, EUA, Argentina, Bolívia, Chile e Uruguai.

O objetivo central é apresentar a trajetória de professores e mestres de diversas modalidades, assim como a história das modalidades e o legado dos pioneiros.

A primeira edição foi publicada em 2009, com pouco mais de 60 biografias. Posteriormente, chamou a atenção de profissionais em todo o país. Todos queriam saber que obra era aquela que oferecia visibilidade e reconhecimento aos educadores marciais do Brasil.

A segunda edição, realizada em 2010, teve novos participantes, e imprimiu ainda mais credibilidade. A cada ano, o livro crescia, principalmente, pela dedicação de todos os envolvidos: professores, alunos e parceiros.

Quando nos referimos ao termo “Grandes Mestres” não é apenas pela eficácia profissional, mas também pelos feitos em prol do desenvolvimento dessa área.

Agora, em 2019, a edição Américas ressalta o compromisso em valorizar as diretrizes educacionais de professores e mestres do continente americano, além é claro, de relatar os percalços enfrentados por grandes ícones, como Bruce Lee, Mitsuyo Maeda, Ryuzo Ogawa, Sang Min Cho, Woo Jae Lee, Park Sung Jae, Sadamu Uriu, Nélio Borges, Carlos Gracie, Hong Soon Kang, Pastinha, Bimba, entre tantos outros.

O lançamento ocorre em 09 de novembro, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP), das 10h às 17h. Haverá palestras, lutas demonstrativas, entrega de homenagens e a presença ilustre do lendário Bill Wallace, diretamente dos EUA. 

Fechar Menu