Por Girliani Martins | Crédito: CBJ

imagem da noticia

Dia Mundial do Judô exalta a força da modalidade

No último domingo, 28 de outubro, foi o Dia Mundial do Judô. A revista Master parabeniza a todos os praticantes, professores e mestres que escolheram o “Caminho Suave” para disseminar princípios como disciplina, respeito e integridade.

O Judô foi fundado pelo japonês Jigoro Kano, em 1882. Teve uma grande aceitação em todo o mundo, pois o difusor conseguiu reunir a essência dos principais estilos e escolas de Jujutsu (arte marcial dos cavaleiros) e fundi-las em uma única vertente.

A modalidade foi considerada desporto oficial no Japão nos finais do século XIX, e a polícia nipônica o introduziu em seus treinos. Seus principais objetivos são fortalecer o físico, a mente e o espírito de forma integrada, além de desenvolver técnicas de defesa pessoal.

A vestimenta utilizada nessa modalidade é o judogi (quimono). O Judô representa o caminho para a utilização eficaz das forças físicas e espirituais. Treinando os ataques e as defesas, o corpo e a alma se tornam apurados e a essência do Judô torna-se parte do próprio ser.

Na atualidade, é um dos desportos mais adorados no mundo, com mais de 20 milhões de praticantes. No Brasil, estima-se que há 2 milhões de adeptos, sendo que apenas 10% são de competidores. Segundo a Confederação Brasileira de Judô (CBJ), o esporte é representado em 26 Estados e também no Distrito Federal.

História no Brasil

O precursor da modalidade no Brasil é Conde Koma, cujo nome seria Mitsuyo Maeda ou Eisei Maeda. Apesar de ter aparecido anos após a entrada dos primeiros imigrantes japoneses, Maeda veio como divulgador oficial do Kodokan.

Chegou à cidade de Porto Alegre em 14 de novembro de 1914, onde ganhou o apelido de Conde Koma, devido à elegância e semblante sempre triste. No Sul, fez sua primeira demonstração, seguindo depois para o Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife, São Luiz, Belém e finalmente Manaus.

Foi nesse período que Conde Koma teve como alunos alguns integrantes da família Gracie, os quais, após a sua morte, ajudaram a dar continuidade ao seu trabalho. 

Conde Koma não foi o único a difundir o Judô no Brasil. Pode-se citar também Tatsuo Okochi, o fundador e o primeiro presidente da Associação de Faixas Pretas de Kodokan, além de ser o criador e o primeiro diretor técnico da Federação Paulista de Judô. Com seu prestígio, trouxe muitos professores do Japão, que por sua vez ajudaram a elevar o nível técnico da arte marcial no Brasil

Outro importante precursor do Judô no Brasil foi Ryuzo Ogawa, que instituiu a Budokan, primeira academia de projeção nacional, com filiais em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais,Paraná e Rio Grande do Sul, entre outros.

O número de filiais da Academia Budokan chegou a mais de 100. Ogawa foi um dos professores mais rigorosos, fazendo seus alunos seguirem à risca os ensinamentos do verdadeiro Judô japonês.

Sobei Tani, Katsutoshi Naito, Yassuiti Ono, Teronozuke Ono, Noburo Ogino, entre outros mestres também ajudaram a escrever a história do Judô no Brasil.  Com o crescimento, foram fundadas novas academias, gerando um consequente aumento no número de praticantes. 

Em 1951, organizaram em São Paulo, o primeiro campeonato oficial de Judô. Em 1954, de 14 a 16 de outubro, no Tijuca Tênis Clube, foi realizado o primeiro Campeonato Brasileiro, que contou com a participação de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.

Em 1956, o Brasil participou de seu primeiro campeonato internacional, o II Campeonato Pan-Americano, em Cuba, onde alcançou a segunda colocação. A equipe era formada pelos judocas Massayoshi Kawakami, Sunji Hinata, Augusto Cordeiro, Luiz Alberto Mendonça, Hikari Kurachi e Milton Rossi. 

Em 1966, o Brasil sediou o primeiro Campeonato Mundial. A partir do expressivo resultado e da popularização, se fez necessária a criação de órgãos que coordenassem as atividades judoísticas. Assim, em 17 de abril de 1958, foi fundada em São Paulo, a primeira Federação de Judô do Brasil, sendo seguida em 09 de agosto de 1962, pela Federação do Rio de Janeiro. Nessa época, o Judô nacional era dirigido pela Confederação Brasileira de Pugilismo. Havia, portanto, a necessidade de criar uma confederação que se dedicasse exclusivamente à prática em nível nacional e internacional. 

Em 18 de março de 1969, foi criada a Confederação Brasileira de Judô (CBJ), tendo o professor Paschoal Segreto Sobrinho como primeiro presidente. O reconhecimento oficial da criação da CBJ só veio no dia 22 de fevereiro de 1972, quando a entidade era presidida por Augusto de Oliveira Cordeiro.

É uma modalidade que preserva três princípios: máxima eficiência com mínimo esforço, bem-estar e benefícios mútuos e suavidade. O princípio da máxima eficiência com o mínimo de esforço foi criado para atender não só às expectativas físicas abordadas nos treinos e combates, mas também para fortalecer e criar um espírito forte, que caminha junto com o corpo. 

Segundo Jigoro Kano, sem uma ordem e harmonia entre corpo e mente, nenhum judoísta consegue alcançar o equilíbrio e a eficiência. O princípio do bem-estar e benefícios mútuos mostra a importância da solidariedade humana no crescimento individual e global, não só para prática do Judô como no dia a dia. O princípio da suavidade promove o uso adequado da força com ênfase na técnica, economizando assim o máximo de energia e proporcionando maior eficiência na execução dos golpes.

Praticado em academias, clubes e escolas, o esporte é muito respeitado por seu caráter disciplinador. De acordo com a Confederação Brasileira de Judô (CBJ), é o esporte individual que mais rendeu medalhas olímpicas para o Brasil. São 22, sendo quatro ouros, três pratas e 15 bronzes.

 

 

 

Veja mais notícias!

imagem da noticia

CBK divulga calendário de 2019

ver completa
imagem da noticia

Terapeuta Deise Facusse lança o livro “Receitas Taoistas” no Casa Hall Shopping, em Balneário Camboriú

ver completa
imagem da noticia

CBJ promove treinamento com dinâmicas e palestras para colaboradores na sede administrativa no Rio de Janeiro

ver completa
imagem da noticia

Seleção de Karate realiza treinamento de campo no CT Time Brasil

ver completa
imagem da noticia

Filosofia marcial é a base das modalidades

ver completa
imagem da noticia

Prêmio Melhores de 2018 acontece em fevereiro

ver completa