J P Ianni, 52 anos, é 1º dan em TKD e a faixa verde em Hapkido Wha Moo Kwan. Sua carreira data de 1979, ano em que iniciou na academia Lim TKD Clube, em Belo Horizonte, M/G, com o grão-mestre Chang Seon Lim. Nos anos 1990, contudo, praticou Karate Kenyu-Ryu com o sensei Freizer, conquistando a faixa laranja, a mesma graduação que arrematou no Aikido, com o shihan Ichitami Shikanai. Praticou também Wing Chun e Karajuca bem como Iaijutsu e Kendo no Niten. Sua principal característica técnica está nas formas, poomsaes e katas, e no princípio filosófico do Bushido. O momento mais simbólico foi o acidente que sofreu durante uma demonstração de TKD, quando lesionou o ligamento cruzado anterior do joelho direito. Isto o afastou por 15 anos das artes marciais, mas retornou em 2013, ainda mais forte, como instrutor de Hapkido na Escola de Artes Marciais Coreanas-JP e como professor de TKD. O faixa preta busca manter a tradição das artes marciais em seus princípios e fundamentos (utilização da nomenclatura padrão da arte marcial – coreano) e desenvolvendo na mente dos alunos a prática de não agressão e defesa pessoal com mínimo de lesão corporal. “Como instrutor e professor de artes marciais, pretendo dar palestras sobre atletas com lesão, que foi o foco de meu trabalho para exame de faixa preta”, complementa. José Pedro Cunha Ianni é biólogo licenciado há 26 anos, professor de Ciências e Biologia e advogado há oito anos, especialista em Direito do Trabalho e Direito Ambiental; e consultor jurídico ambiental.

Fechar Menu