Por Confederação Brasileira de Judô / Crédito: André Durão / Globo

 

Os medalhistas olímpicos Flávio Canto e Tiago Camilo vão reviver nos próximos dias uma das maiores rivalidades do esporte brasileiro. Só que, dessa vez, eles se enfrentarão do lado de fora do tatame, atuando como técnicos das equipes da segunda edição do reality show “Ippon”, produzido pela TV Globo em parceria com a Confederação Brasileira de Judô e Bradesco, patrocinador master do Judô brasileiro. 

A série estreou no último domingo no Esporte Espetacular, apresentando os oito atletas participantes e os prêmios para os vencedores: disputar o badalado Grand Slam de Paris em 2020 pela seleção principal e ainda participar de uma vivência única nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. 

Os nomes dos judocas foram definidos a partir de critérios técnicos estabelecidos pela gestão das Categorias de Base da CBJ, que analisou os melhores judocas do ranking nacional sub-21, tanto no masculino, quanto no feminino na categoria Meio-Médio (81 kg e 63 kg). 

“Chegamos em quatro nomes masculinos e quatro femininos e a disputa começa a partir de agora. São atletas que já estão no processo, com bom desempenho internacional no Circuito Júnior e que estão sendo trabalhados na nossa equipe de transição da base para a principal”, explicou Marcelo Theotônio, gestor das Equipes de Base do Brasil.  

Entre os meninos, foram selecionados os judocas Luanh Saboya, Rodrigo Abner, Marcelo Gomes e Guilherme Schimidt, que lutou o Grand Slam de Brasília nesta semana e ficou em 7º lugar. 

No feminino, ganharam as vagas as judocas Samara Oliveira, Ryanne Lima, Gabriella Moraes e Ketelyn Nascimento, vice-campeã do Grand Slam de Brasília no peso Leve (57 kg).  Eles terão que se superar em lutas e provas ao longo dos próximos cinco episódios do programa. O “Ippon 2019” vai ao ar nas manhãs de domingo, dentro do Esporte Espetacular. 

 

Fechar Menu