Terceira edição do Encontro Nacional de Kodanshas da CBJ tem homenagens e debate sobre tradição e inovação no Judô

Por Confederação Brasileira de Judô | Crédito: Lara Monsores/CBJ

 

O Encontro Nacional de Kodanshas chegou, em 2019, à terceira edição, mais forte e cada mais consolidado no calendário do Judô brasileiro. Grandes mestres da modalidade reuniram-se em Natal, no Rio Grande do Norte, na última sexta-feira, 19, para o evento anual promovido pela CBJ e protagonizaram relevante debate sobre o equilíbrio entre a tradição e a inovação no Judô. Recebidos na capital potiguar pelo presidente da Federação de Judô do Estado do Rio Grande do Norte, Tibério Maribondo, e pela presidência da CBJ liderada por Silvio Acácio Borges ao lado de seus vices José Nilson Gama e Seloí Totti, os cerca de 60 professores puderam confraternizar com velhos amigos, trocar experiências e dialogar sobre os valores que guiam a caminhada do judoca. Em seu discurso de abertura, Silvio Acácio fez um retrospecto das edições anteriores do Encontro, que começou em 2017, em São Paulo, e repetiu-se em 2018, em Lauro de Freitas. O presidente ratificou a importância dos kodanshas e a relevância dessa troca que o Encontro proporciona para o desenvolvimento do judô nacional.  “Essa iniciativa da CBJ de reunir e ouvir os professores mais graduados do Brasil tem como objetivo resgatar e valorizar aqueles que são responsáveis pela difusão dos valores educacionais e filosóficos do judô de Jigoro Kano. Ficamos orgulhosos de ver os kodanshas que valorizaram e prestigiam essa iniciativa, transformando o Encontro em uma das agendas mais importantes do judô nacional”, considera Silvio Acácio. Programação participativa com palestra e mesa redondaSeguindo a receita de sucesso dos anos anteriores, a programação desta edição contou com uma palestra e uma mesa redonda de debates com convidados especiais. Na palestra de abertura, o kodansha Carlos Eurico Pereira, médico, empreendedor e ex-presidente da Federação Gaúcha de Judô, compartilhou um pouco sobre sua experiência no Vale do Silício, meca da inovação nos Estados Unidos, e como a busca constante por conhecimento o ajudou a encontrar seu propósito de vida. A explanação trouxe ainda um contraponto entre a tradição e a inovação no Judô, provocando na plateia uma reflexão sobre a prática e o ensino das técnicas e dos valores do Caminho Suave nos tempos atuais.Em seguida, quatro representantes dos kodanshas foram convidados ao palco para participarem da mesa redonda que mesclou juventude e experiência, resultando em histórias que traduzem o significado das faixas coral e vermelha. Participantes da mesa, os kodanshas Luiz Gonzaga Filho, 8º dan, presidente da FEMEJU; Jucinei Costa, 6º dan, presidente da FJERJ; Marilaine Ferranti, 6º dan, árbitra FIJ A; e Michiharu Sogabe, 9º dan, membro do Conselho Nacional de Graduação da CBJ, contaram para seus colegas como foi a caminhada de cada um dentro e fora do dojô até chegarem à graduação de kodanshas. .  Homenageados recebem a Comenda do Cinquentenário da CBJAntes de encerrar a noite, o presidente Silvio Acácio prestou homenagem especial a 12 professores presentes, outorgando-lhes a Comenda do Cinquentenário da CBJ. Em primeiro lugar, a honraria foi entregue aos kodanshas mais graduados presentes ao Encontro, os professores Julio Adnet, 9º dan do Distrito Federal; Tadao Nagai, 9º dan de Pernambuco; e Michiharu Sogabe, 9º dan de São Paulo. Em seguida, receberam a Comenda Robnelson Ferreira, gestor executivo da CBJ; Gilmar Camerino, membro do Conselho Fiscal da CBJ; Icracir Rosa, presidente do Conselho Nacional de Graduação; Aloísio Short Sobrinho, membro do Conselho Nacional de Graduação; Denis Lima, membro do Conselho Nacional de Graduação; Rioiti Uchida, coordenador nacional de Kata; Edison Minakawa, coordenador nacional de Arbitragem; Carlos Eurico Pereira, coordenador nacional de Veteranos; e o professor José Gomes Medeiros, o mais velho kodansha presente a este Encontro.  “Minha vida tem sido feita de realizar coisas complicadas e receber elogios. O elogio de uma homenagem dessas é como uma fonte de energia que me estimula a continuar fazendo as coisas mesmo que haja dificuldade. Eu vivo de energia dos meus amigos”, disse o sensei Medeiros antes de descrever a importância do Encontro de Kodanshas. “Se eu não viesse ficaria faltando alguma coisa como se fosse um elo. Eu não poderia perder um compromisso desses do judô, principalmente, quando se trata de reunir valores e pessoas de comportamento exemplares. Saio daqui muito feliz e com mais energia”, finalizou.No dia seguinte ao evento,  deram continuidade ao final de semana de confraternização e prestigiaram o Campeonato Brasileiro de Veteranos e Kata. Na abertura, assistiram à bela apresentação de Kata do sensei Rioiti Uchida com seu filho Wagner Uchida. Um grande encerramento para um grande Encontro.

Fechar Menu