Judocas da Federação Alagoana de Judô e do Minas Tênis Clube se enfrentarão no 1º Desafio Base On-line

Por Confederação Brasileira de Judô | Crédito: Divulgação/Minas Tênis Clube

Buscando alimentar o espirito do Judô e manter seus atletas ativos, a Federação Alagoana de Judô e o Minas Tênis Clube se uniram para promover a primeira edição do Desafio Base On-line. E o primeiro lugar da competição virtual será disputado por 18 judocas das equipes de base sub-13, sub-15 e sub-15, nesta sexta-feira, 24, a partir das 18h (horário de Brasília). Os confrontos serão realizados através do Zoom e transmitidos, ao vivo, no Facebook da equipe mineira.

O Desafio Base On-line será transmitido, ao vivo, através do Facebook do Minas Tênis Clube.

Idealizado pelo sensei Adriano Rodrigues, técnico da categoria sub-15 do Minas e vencedor do Open Nacional de Veteranos, e aprovado pela Confederação Brasileira de Judô, o desafio visa integrar os judocas dos dois estados, trazendo de volta a união e competitividade presentes no cotidiano dos atletas, que estão sem competir desde o início de março.

“Nós fizemos o nosso Meeting Online e recebemos um contato de um técnico do Minas, o sensei Adriano, que entrou em contato para saber como a gente desenvolveu, por que ele tinha interesse em movimentar a base do Minas Tênis Clube”, explicou o presidente da FAJU, Antônio Milhazes, sobre a participação da entidade alagoana.

“No Judô existe um princípio muito básico que é a cooperação mútua entre os praticantes de Judô (Jita Kyoei), e nós ofertamos toda a logística, tudo o que foi feito aqui e toda a metodologia empregada para eles. Eles desenvolveram lá com a base e daí surgiu a ideia de fazer um desafio para movimentar nesse período de COVID-19″, complementou Milhazes.

O desafio vai reunir nove atletas da seleção alagoana de Judô e nove judocas minastenistas, divididos entre as três classes de disputa, sendo uma mulher e um homem para cada categoria de idade. Os participantes terão dois minutos para executar uma série de exercícios específicos, enquanto quatro árbitros, dois mineiros e dois alagoanos, irão contabilizar os pontos. Vence o desafiante que realizar o maior número de repetições válidas dentro do tempo estipulado, conquistando um ponto para sua equipe.

“Toda ideia que venha movimentar, principalmente o esporte que foi um dos movimentos mais prejudicados com a COVID19, só tem a somar. É muito importante isso, por que nós vamos movimentar tanto os atletas, quanto as famílias, e os envolvidos de uma maneira geral na prática do Judô”, salientou o presidente da Federação Alagoana.