Por Confederação Brasileira de Judô | Crédito: FIJ

 

Na última quarta-feira (03), a seleção brasileira de Judô embarcou para a França em busca de mais medalhas. O desafio da vez será o tradicional Grand Slam de Paris, uma das competições mais fortes do Circuito Mundial, que acontecerá entre 06 e 07 de fevereiro.

Nesta disputa, o Brasil será representado por 12 atletas, sendo que três deles estreiam em 2016 nos tatames de Paris. É o caso da peso pesado Rochele Nunes, da meio-pesado Mayra Aguiar e do meio-médio Victor Penalber, que não estiveram nem no Grand Prix de Havana, nem no Aberto de Sofia, ambos em janeiro.

A equipe feminina contará também com Maria Suelen Altheman (+78kg), Rafaela Silva (57kg), bronze em Havana, e com Sarah Menezes (48kg), que tenta manter o embalo depois do ouro em Cuba.

"Estou encarando este Grand Slam como todas as competições. Sempre com os dois pés no chão. E o objetivo é chegar no pódio. Estou bem treinada, bem preparada, focada e espero ter um excelente desempenho nesta competição", projetou a campeã olímpica, atualmente número 8 do mundo no Ranking da FIJ.   

No masculino, além de Penalber, o Brasil terá Felipe Kitadai entre os ligeiros (60kg), Alex Pombo (73kg), Eduardo Bettoni (90kg), Luciano Corrêa (100kg), que vem de uma prata no último final de semana no Aberto de Sofia, além dos pesados David Moura, campeão em Sofia, e Rafael Silva, que fará sua segunda competição na temporada depois de uma lesão que o deixou sete meses sem competir. 

Em 2015, o Grand Slam foi disputado em outubro por conta de obras de reforma do Palais Omnisports de Bercy e o Brasil conquistou duas pratas, com David Moura e Rafael Buzacarini (100kg). 

Fechar Menu