Comitê Olímpico do Brasil anuncia o cancelamento dos Jogos Escolares da Juventude de 2020

Por Confederação Brasileira de Judô | Crédito: CBJ

Os Jogos Escolares da Juventude são a maior competição estadual do país, alcançando mais de 2 milhões de jovens. Foto: Wander Roberto/COB

O Comitê Olímpico do Brasil anunciou, nesta quarta-feira, 24, a decisão tomada pela entidade de não realizar os Jogos Escolares da Juventude de 2020. A escolha pelo cancelamento da competição contou com o apoio unânime das 14 Confederações Brasileiras, incluindo a Confederação Brasileira de Judô, que participou das reuniões virtuais realizadas pelo COB, com a presença das 27 Secretarias Estaduais.

Segundo o COB, a decisão busca minimizar os riscos de transmissão da Covid-19, priorizando a saúde e integridade física de todos os envolvidos no evento, que reúne anualmente cerca de 5 mil jovens, entre 12 e 17 anos, além dos numerosos integrantes responsáveis pela organização de todas as etapas da competição.

Confira abaixo a nota do Comitê Olímpico do Brasil na íntegra:

“Tendo como prioridade principal a saúde e integridade física de todos os envolvidos em seus eventos e ações, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) optou, com apoio unânime das 14 Confederações Brasileiras integrantes do evento, pela não realização dos Jogos Escolares da Juventude 2020.

Após encontros virtuais entre integrantes do COB e representantes das Confederações Brasileiras Olímpicas e das 27 Secretarias Estaduais, responsáveis pelos Jogos Escolares Estaduais e pelo processo seletivo localmente, concluiu-se que diversos fatores decorrentes da pandemia de COVID-19 impedem a organização segura do evento, que reúne anualmente na etapa nacional cerca de 5 mil jovens, entre 12 a 17 anos, em uma mesma cidade.

Entre eles:

– Risco de contágio em ambiente sem controle direto do COB e Confederações (ex.: transporte – aéreo e terrestre – até a cidade-sede, hotéis, centros comerciais, etc.);

– Diferença entre as situações de cada Estado em relação à pandemia e o impacto na isonomia da competição;

– Incerteza da data de retorno do calendário escolar presencial que pode comprometer o processo seletivo;

– Possibilidade de os pais não autorizarem as viagens dos alunos/atletas;

– Eventual conflito com o calendário nacional das modalidades em função da possibilidade de concentração de muitos eventos no último trimestre do ano.

Também em virtude dos riscos de contágio pela pandemia do novo coronavírus, as três etapas regionais, que aconteceriam em setembro, já haviam sido desmarcadas.

Organizados pelo COB desde 2005, os Jogos Escolares da Juventude fazem parte do processo de sistematização dos Jogos Escolares Brasileiros, proposto pelo Governo Federal. São a maior competição estudantil do país, reunindo alunos de escolas públicas e privadas do território nacional para a disputa de 17 modalidades, além de atividades educativas e culturais. A realização do evento alcança mais de 2 milhões de jovens, considerando as seletivas municipais e estaduais, gerenciadas por estados e municípios. Juntando organizadores, treinadores, árbitros, voluntários, entre outros, o número de pessoas envolvidas nas etapas organizadas pelo COB chega a mais de 8 mil.

Os Jogos Escolares da Juventude são um grande projeto de desenvolvimento do esporte nacional. Além de ações já consolidadas, como o programa de embaixadores e os programas socioeducativos, em 2019 foram oferecidos cursos de capacitação para treinadores, o Guia de Pais e Educadores apoiando o Jogo Limpo, além da criação do Centro de Avaliação e Monitoramento, que identificou o perfil físico e motor de mais de 2 mil jovens atletas de 12 a 14 anos, em um projeto piloto para a construção longitudinal do perfil do atleta olímpico.

Nomes de destaque, como a campeã olímpica Sarah Menezes e a campeã mundial Mayra Aguiar, ambas do judô, Hugo Calderano (tênis de mesa), Raulzinho (basquete), Ana Claudia Lemos (atletismo), Etiene Medeiros e Leonardo de Deus (natação), que integraram o Time Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016, passaram pelos Jogos Escolares. Portanto, o COB considera os Jogos Escolares da Juventude um projeto de grande valor para sua missão de representar com excelência o esporte brasileiro de alto rendimento.”

Fechar Menu