CBJ lança Nacional de Judô Funcional, novo formato de torneio online, para celebrar o Dia Mundial da modalidade

Novas regras, novo formato de disputa, mas com o Judô de sempre. Em 28 de outubro de 2020, Dia Mundial do Judô, a Confederação Brasileira de Judô estreará sua mais nova competição: o Nacional de Judô Funcional. Nesse torneio, cada judoca competirá de sua casa, executando exercícios técnicos do Judô combinados com movimentos calistênicos (utilizando o peso do próprio corpo) num duelo contra o relógio. Tudo isso transmitido ao vivo pelo Canal Brasil Judô, no Youtube. 

INSCREVA-SE NO CANAL BRASIL JUDÔ

“Em 2020, o esporte precisou se reinventar e encontrar caminhos seguros para manter toda sua cadeia estrutural ativa. É neste contexto que nasce o Nacional de Judô Funcional, em formato de competição inédito na história da Confederação Brasileira de Judô, que une o mundo real e o virtual, mobilizando judocas de todo o Brasil por meio das plataformas digitais. Um novo jeito de fazer o que sempre fizemos: Judô”, considera o presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges. 

Competição começa em 28 de outubro, Dia Mundial do Judô.

A competição será disputada durante quatro semanas, sempre às terças, quartas e quintas-feiras, com a grande final marcada para o dia 19 de novembro. Atletas de todas as classes de idade, do Sub-13 aos Veteranos, poderão participar representando seus respectivos estados.

“O objetivo do Nacional de Judô Funcional é unir e mobilizar toda a comunidade do Judô por meio de uma competição transmitida de forma online, promovendo o engajamento e a interação entre todos os envolvidos com a modalidade”, explica Thiara Bertoli, gestora Técnica e de Eventos Nacionais da CBJ. “Neste momento difícil imposto pela pandemia do COVID-19, com a contribuição de todos, chegamos a uma nova forma de fazer Judô, em nossas casas, até o momento de podermos estar todos juntos novamente no tatame”, complementou. 

Entenda o formato de disputa

O Judô Funcional nasceu no contexto da pandemia do novo coronavírus no Brasil e tem como referência os métodos de treinamentos solitários – tandoku renshu – única forma encontrada pelos judocas para manterem a forma física e técnica em meio às restrições do distanciamento social necessário ao combate à COVID-19.

Nos confrontos, os atletas, separados de acordo com suas classes de idade e categoria de peso, realizam, dentro de um período de tempo pré-estabelecido, uma série de movimentos constituídos por um exercício funcional (abdominal, polichinelo, prancha, etc) combinado com a execução de uma técnica de Judô de forma individual. Não existe qualquer contato entre os participantes, como acontece no Judô tradicional.

Os movimentos serão analisados por uma banca composta por três árbitros e será declarado vencedor do duelo o atleta que realizar o maior número possível de combinações corretas dentro do tempo estabelecido previamente pela organização.

As inscrições para o Nacional de Judô Funcional estão abertas pelo Zempo até às 16h (horário de Brasília) do dia 19 de outubro de 2020.

Federações realizam suas etapas seletivas para Nacional de Judô Funcional

Buscando voltar à ativa e selecionar os judocas que irão representar seus estados na disputa nacional, as Federações filiadas à CBJ vem se engajando na novidade e realizando os campeonatos funcionais estaduais.

As Federações de Alagoas; Amapá; Bahia; Goiás; Minas Gerais; Pará; Paraíba; Paraná; Rio de Janeiro; Rio Grande do Norte; e Santa Catarina já finalizaram suas etapas locais e selecionaram seus representantes. Estão em andamento os estaduais do Amazonas, Ceará, Espirito Santo, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rio Grande do Sul e São Paulo.

OUTLINE E PROGRAMAÇÃO – NACIONAL DE JUDÔ FUNCIONAL 

REGULAMENTO – NACIONAL DE JUDÔ FUNCIONAL