Por Confederação Brasileira de Judô | Crédito: Lara Monsores/CBJ

Celebrando a chegada do ano olímpico, a Confederação brasileira de Judô (CBJ) divulgou a primeira versão do seu Calendário de eventos 2020. O planejamento anual de competições e treinamentos nacionais e internacionais prevê uma temporada bastante encorpada, com eventos para todas as classes de idade e todos os segmentos que compõem a família do Judô: atletas, treinadores, árbitros, dirigentes e kodanshas.

Maria Taba (MG) x Yasmim Lima (RJ) na final do Brasileiro Sênior 2019.

O maior destaque, naturalmente, são os Jogos Olímpicos de Tóquio, em julho, que marcam o retorno do Judô ao Japão, berço da modalidade, 56 anos após a estreia do esporte no programa olímpico, em Tóquio 1964.

VEJA A AQUI O CALENDÁRIO CBJ 2020 COMPLETO

Confira abaixo os destaques do ano

Competições e eventos nacionais

O Calendário Nacional de Eventos apresentará algumas novidades para 2020. O destaque maior é a abrangência das competições no território nacional. Ao todo, 11 estados do Brasil mais o Distrito Federal irão sediar 18 eventos e competições nacionais durante o ano de 2020.

A estreia será em fevereiro, no Meeting, em São Paulo. O Troféu Brasil e o Grand Prix serão no Rio, em setembro, e o Brasileiro Sênior será em Porto Velho, Rondônia, em novembro. Os eventos nacionais passarão ainda por Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Piauí, Pará, Ceará, Mato Grosso e Santa Catarina.  

Estão previstos também o Brasileiro de Veteranos e Kata, além da quarta edição do Encontro Nacional de Kôdanshas, evento que reunirá os grandes mestres do judô brasileiro, em junho, em Santa Catarina. O evento é uma iniciativa da CBJ, visando o reencontro e a troca de conhecimentos entre os principais nomes da arte marcial no país.

Seleção principal

A Seleção Principal terá um primeiro semestre intenso com treinamentos de campo no Brasil e na Europa, além de uma maratona de competições que distribuirão os últimos pontos na corrida pela classificação olímpica. A primeira parada será no Grand Prix de Tel Aviv, em janeiro, e a última a contar pontos para o Ranking Mundial será o World Masters de Doha, no Catar, no final de maio. A definição da Equipe Olímpica sairá após o Masters, entre os dias 01 e 02 de junho.  Estão programados 10 treinamentos de campo para a seleção e 21 competições ao longo de 2020 incluindo os Jogos Olímpicos e o Grand Slam de Brasília, em outubro. 

A equipe olímpica fará treinamentos de campo em São Paulo e no Rio de Janeiro antes de embarcar para a aclimatação em Hamamatsu, Japão, no dia 10 de julho.  

A agenda do Judô nos Jogos Olímpicos de Tóquio também já está definida.  Serão 8 dias de disputas, de 25 de julho a 1 de agosto, com uma categoria por dia. No último dia acontecerá a disputa por equipes mistas, fato inédito em Jogos Olímpicos. 

Confira a agenda do Judô em Tóquio:

24/07 – Sorteio das Chaves

25/07 – Ligeiro (48 kg/60 kg)

26/07 – Meio-leve (52 kg/66 kg)

27/07 – Leve (57 kg/73 kg) 

28/07 – Meio-médio (63 kg/81 kg)

29/07 – Médio (70 kg/90 kg)

30/07 – Meio-pesado (78 kg/100 kg)

31/07 – Pesado (+78 kg/+100 kg)

01/08 – Equipes Mistas

Equipes de base

Em ano olímpico, a agenda de eventos internacionais da Base é um pouco diferente dos demais anos do ciclo olímpico, uma vez que a Federação Internacional de Judô não realiza os Mundiais das classes Júnior e Juvenil. Em 2020, contudo, a FIJ confirmou a realização do Mundial Juvenil, previsto para acontecer no período de 19 a 23 de agosto, em Portugal. Existe ainda a expectativa pela confirmação da realização do Campeonato Mundial Júnior em 2020, o que interfere diretamente no planejamento de competições internacionais da seleção Sub-21. 

Dessa forma, as únicas competições internacionais confirmadas nesta primeira versão do calendário 2020 para a Base são os Campeonatos Pan-Americanos Sub-18 e Sub-21, de 16 a 18 de julho, em Manágua, na Nicarágua. Em breve, o calendário será atualizado com a confirmação das demais etapas do circuito mundial Júnior e Juvenil. 

Além disso, atletas das categorias de base também participarão de algumas etapas do Circuito Mundial Sênior IJF em trabalho integrado das gestões de Alto Rendimento e Base visando à transição dos judocas da base para a equipe principal. 

Fechar Menu